64 different countries have visited this site

free counters

quarta-feira, 23 de julho de 2014

São Paulo, na vanguarda do atraso


O rinoceronte Cacareco, antecessor de Tiririca, foi eleito vereador em SP
Pelé é até hoje criticado por ter dito que o brasileiro não sabe votar. Mas quando se constata, só para ficar num exemplo mais conhecido, que os paulistas, que já elegeram o "chuchu" Alckmin, estão prestes a cometer novamente essa barbaridade, até que dá para desculpar o "rei" do futebol pela sua frase. 

Citei Alckmin, mas poderia citar vários outros políticos que os paulistas sufragaram majoritariamente para cargos do Executivo: Celso Pitta, José Serra, Gilberto Kassab, por exemplo. Não é uma trinca notável? 

A democracia tem dessas coisas. O eleitor pode, perfeitamente, errar, eleger um picareta ou um sujeito sem nenhuma qualificação intelectual para o cargo de prefeito ou governador de Estado. Ou de presidente da República. Acontece. 

Mas a democracia também permite que esse mesmo eleitor que se enganou uma vez se redima e, numa próxima eleição, rejeite esse político que o decepcionou. 

Esse é o grande mérito do regime democrático: dar voz ao povo, propiciar que ele escolha, livremente, seus governantes, que promova uma alternância no poder. 

O que ocorre no Brasil - e mais especificamente em São Paulo -, porém, foge à razão. 

Ou melhor, é motivo para que os mais sábios dos sábios se debrucem nos seus preciosos livros para tentar decifrar o enigma. 

Há duas décadas o Estado mais rico da federação, que já foi chamado de "Locomotiva da Nação", é governado por um grupo político que hoje, em nível federal, faz oposição feroz aos trabalhistas. 

Esse grupo representa o que de mais atrasado existe na vida social do país. É totalmente desligado das organizações populares e sindicais, criminaliza os movimentos sociais e reivindicatórios, exibe resultados menos que medíocres em todas as áreas de governo, aumenta taxas e impostos indiscriminadamente, despreza a transparência administrativa, mente compulsivamente sobre todas as questões que possam significar início de uma crise - e mesmo assim é aprovado pela maioria dos cidadãos! 

É fato notório que o prefeito paulistano, o petista Fernando Haddad, tem sido vítima de uma perseguição cotidiana por parte da oligarquia paulista, imprensa incluída. E também notório que Haddad é um dos melhores quadros políticos já surgidos no passado recente do país. 

A tentativa de exterminá-lo politicamente, ao mesmo tempo em que as inúmeras mazelas provocadas por 20 anos de governos tucanos em São Paulo são inteiramente escondidas da população, prova de que a democracia brasileira ainda é muito imperfeita.

Talvez por ser ainda dominada por um grupo de pessoas que preza muito mais manter os imensos privilégios que ainda goza do que ver o país em que vive se transformar numa terra mais justa para todos. 

E não há no país local mais exemplar dessa criminosa interferência no processo de consolidação democrático do que São Paulo. Triste destino o dos paulistas...

do Blog CRÔNICAS DO MOTTA

Aécio prega submissão à União Europeia

Por José Reinaldo Carvalho, no site Vermelho:

O candidato neoliberal e conservador do PSDB, Aécio Neves, a cada pronunciamento que faz dá mostras do seu reacionarismo e entreguismo. Na semana passada, atacou durante sabatina do Site UOL e do canal de televisão SBT, o programa Mais Médicos, revelando ao mesmo tempo sua hostilidade a Cuba. Agora, Aécio fez declarações explícitas de subserviência às potências imperialistas.

Em encontro nesta terça-feira (22) com José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, órgão diretivo da União Europeia, conglomerado que exerce papel imperialista no mundo atual, Aécio atacou o governo da presidenta Dilma Rousseff pela política externa independente que realiza. O tucano afirmou, ao sair da reunião com o representante das potências imperialistas do velho continente, que a política externa brasileira “prioriza o alinhamento ideológico e promove alianças apenas com os países vizinhos”.

Já é notória a ojeriza que o candidato do PSDB tem à integração latino-americana. Capacho do imperialismo estadunidense, Aécio sabe que o Mercosul, a Unasul, a Celac, a Alba e todos os mecanismos de integração vigentes sob a égide dos governos progressistas da região contrariam os interesses dos senhores imperialistas aos quais paga vassalagem. Por isso, em várias ocasiões Aécio e outros dirigentes do PSDB propuseram acabar o Mercosul. Informa o jornal O Estado de S. Paulo, em sua edição da última terça-feira (22), que o senador mineiro defendeu a ideia de acabar o bloco e transformá-lo em área de livre comércio em duas ocasiões – em entrevista ao jornal argentino La Nación, em junho, e em palestra em Porto Alegre no Fórum da Liberdade, no mês de abril.

Agora, o candidato tucano diz que a ligação do Mercosul com a União Europeia seria uma das suas prioridades, caso vencesse as eleições.

Ao desdenhar a integração latino-americana e agora sinalizar prioridade para as relações com os potentados imperialistas da União Europeia, numa aliança que teria caráter neocolonialista, o candidato do PSDB indica que a política externa por ele preconizada é a mesma diplomacia de pés descalços praticada pelo governo do seu guru, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que tentou transformar o Brasil num Porto Rico de 8,5 milhões de quilômetros quadrados – um Estado associado aos seus patrões de Washington.

Mas as declarações de Aécio Neves, como sempre um politiqueiro superficial e despreparado para o posto a que se candidata, contêm uma rematada mentira, ao dizer que a diplomacia brasileira se restringe aos vizinhos.

O governo da presidenta Dilma Rousseff dá continuidade e aprofunda o caráter universalista, multilateralista, ativo, altivo, soberano, pacifista da política externa inaugurada pelo governo do ex-presidente Lula. E com brilhantismo pessoal de estadista. O mundo já assistiu com admiração aos pronunciamentos da presidenta Dilma na Assembleia Geral das Nações Unidas e aplaudiu a sua atitude corajosa de cancelar um encontro com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pois o governo deste último foi pilhado cometendo delito de espionagem contra chefes de Estado, entre estes a líder brasileira.

Alheado da realidade nacional e mundial, Aécio desconhece que foi o Brasil, sob a liderança da presidenta Dilma Rousseff, que protagonizou na semana passada o mais importante acontecimento geopolítico do ano – a Cúpula do Brics, em Fortaleza.

A 6ª Cúpula do Brics – agrupamento que engloba Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – foi um evento marcante, o que pode ser atestado pela Declaração de Fortaleza, em que o perfil do grupo ficou muito bem delineado. O Brics firmou-se não apenas como uma associação de economias de grandes países emergentes. Se se restringisse a isto, já seria uma grande construção. Afinal, estamos falando de 26,8% da área do planeta, 42,8% da população total do mundo, 21% do PIB mundial e 15% do comércio internacional. São dados reveladores de uma nova ordem econômica, ainda no nascedouro, que gradualmente encontra meios e modos de contornar as relações de dominação neocolonialista exercidas pelos grandes potentados econômicos internacionais, por meio de seus organismos financeiros.

O Brics, com as resoluções que tomou de criar o Novo Banco de Desenvolvimento e um fundo comum de reserva de contingência, deu um passo decisivo para se firmar como novo polo econômico-financeiro. Igualmente, afirmou-se como ponderável fator geopolítico em favor da paz, das soluções políticas para os conflitos internacionais por meio do diálogo, da defesa do direito internacional e do multilateralismo e pela democratização das relações internacionais. Ambos os aspectos da consolidação do Brics – como polo econômico e geopolítico – terão importante impacto sobre o desenvolvimento da situação internacional. O mundo não pode mais ficar à mercê do poder dos monopólios da oligarquia financeira nem do ditame das potências imperialistas, como querem Aécio e seus aliados internacionais.

O candidato do PSDB quer ignorar esta realidade e obscurecer que foi a nova política externa brasileira, da qual Dilma é atualmente a principal protagonista, que contribuiu decisivamente para configurar a nova correlação de forças no mundo e abrir caminho nos esforços pela paz e a cooperação internacional.

Que Aécio fique com suas mentiras e sem sapatos, como o ex-chanceler de FHC diante de meganhas estadunidenses. O povo brasileiro não vai querer recuar das grandes conquistas que a política externa brasileira alcançou.

Quase 150 crianças morreram nos ataques de Israel a Gaza, alerta Unicef - por Latuff


Fonte: http://latuffcartoons.wordpress.com/

Postado por Provos Brasil

"Como pensa a elite brasileira" .


“A elite brasileira comprou o livro de Piketty, O Capital no Século 21. Não gostou. Achou que era sobre dinheiro, mas o principal assunto é a desigualdade”


Conversa Afiada - 22/07/2014




Conversa Afiada reproduz excelente artigo de Antonio Lassance, da Carta Maior:

Como pensa a elite brasileira



A elite brasileira comprou o livro de Piketty, O Capital no Século 21. Não gostou. Achou que era sobre dinheiro, mas o principal assunto é a desigualdade.
   
Antonio Lassance

A elite brasileira é engraçada. Gosta de ser elite, de mostrar que é elite, de viver como elite, mas detesta ser chamada de elite, principalmente quando associada a alguma mazela social. Afinal, mazela social, para a elite, é coisa de pobre.

A elite gosta de criticar e xingar tudo e todos. Chama isso de liberdade de expressão. Mas não gosta de ser criticada. Aí vira perseguição.

Quando a elite esculhamba o país, é porque ela é moderna e quer o melhor para todos nós.

Quando alguém esculhamba a elite, é porque quer nos transformar em uma Cuba, ou numa Venezuela, dois países que a elite conhece muito bem, embora não saiba exatamente onde ficam.

Ideia de elite é chamada de opinião. Ideia contra a elite é chamada de ideologia.

A elite usa roupas, carros e relógios caros. Tem jatinho e helicóptero. Tem aeroporto particular, às vezes, pago com dinheiro público – para economizar um pouquinho, pois a vida não anda fácil para ninguém.

A elite gosta de mostrar que tem classe e que os outros são sem classe.

Mas, quando alguém reclama da elite por ser esnobe, preconceituosa e excludente, é acusado de incitar a luta de classes.

Elite mora em bairro chique, limpinho e cheiroso, mas gosta de acusar os outros de quererem dividir o país entre ricos e pobres.

O negócio da elite não é dividir, é multiplicar.

A elite é magnânima. Até dá aulas de como ter classe. Diz que, para ser da elite, tem que pensar como elite.

Tem gente que acredita. Não sabe que o principal atributo da elite é o dinheiro. O resto é detalhe.

A elite reclama dos impostos, mesmo dos que ela não paga. Seu jatinho, seu helicóptero, seu iate e seu jet ski não pagam IPVA, mesmo sendo veículos automotores.

Mas a elite, em homenagem aos mais pobres e à classe média, que pagam muito mais imposto do que ela, mantém um grande painel luminoso, o impostômetro, em várias cidades do país.

A elite diz que é contra a corrupção, mas é ela quem financia a campanha do corrupto.

Quando dá problema, finge que não tem nada a ver com  a coisa e reclama que “ninguém” vai para a cadeia. “Ninguém” é o apelido que a elite usa para designar o pessoal que lota as cadeias.

A elite não gosta do Bolsa Família, pois não é feita pela Louis Vuitton.

A elite diz que conceder benefícios aos mais pobres não é direito, é esmola, uma coisa que deixa as pessoas preguiçosas, vagabundas.

Como num passe de mágica, quando a elite recebe recursos governamentais ou isenções fiscais, a esmola se transforma em incentivo produtivo para o Brasil crescer.

A elite gosta de levar vantagem em tudo. Chama isso de visão. Quando não é da elite, levar vantagem é Lei de Gérson ou jeitinho.

Pagar salário de servidor público e os custos da escola e do hospital é gasto público. Pagar muito mais em juros altos ao sistema financeiro é “responsabilidade fiscal”.

Quando um governo mexe no cálculo do dinheiro que é reservado a pagar juros, é acusado de ser leniente com as contas públicas e de fazer “contabilidade criativa”.

Quando o governo da elite, décadas atrás, decidiu fazer contabilidade criativa, gastando menos com educação e saúde do que a Constituição determinava, deram a isso o pomposo nome de “Desvinculação das Receitas da União” -  inventaram até uma sigla (DRU), para ficar mais nebuloso e mais chique.

A elite bebe água mineral Perrier. Os sem classe se viram bebendo água do volume morto do Cantareira.

A elite gosta de passear e do direito de ir e vir, mas acha que rolezinho no seu shopping particular é problema grave de segurança pública.

A elite comprou o livro de um francês, um tal Piketty, intitulado “O Capital no Século 21″. Não gostou. Achou que era só sobre dinheiro, até descobrir que o principal assunto era a desigualdade. 

A pior parte do livro é aquela que mostra que as 85 pessoas mais ricas do mundo controlam uma riqueza equivalente à da metade da população mundial. Ou seja, 85 bacanas têm o dinheiro que 3,5 bilhões de pessoas precisariam desembolsar para conseguir juntar.

A elite não gostou da brincadeira de que essas 85 pessoas mais ricas do mundo caberiam em um daqueles ônibus londrinos de dois andares.

Discordou peremptoriamente e por uma razão muito simples: elite não anda de ônibus, nem se for no andar de cima.

do Blog do ContrapontoPIG

VOO PSDB-171 DA AERONEVEX SOME DO RADAR DO PIG


JORNALÕES MUDAM DE ASSUNTO SEM QUE AÉCIO NEVES TENHA EXPLICADO NADA


ASSIM SE COMPORTA UMA IMPRENSA PARTIDARIZADA 

Não se encontra em nenhum dos jornalões ONLINE mais uma linha sobre o AEROPORTO DE CLAUDIO - MG - Caso gravíssimo que envolve o senador tucano e candidato à presidência da República AÉCIO NEVES

do BLOG DO SARAIVA

Oi é multada por monitorar e vender informações de clientes.


Ministério da Justiça multou a "Oi" em R$ 3,5 milhões por ter infringido normas de defesa do consumidor  ao monitorar o comportamento de clientes na internet e vender essas informações a anunciantes, agências de publicidade e portais na web. A decisão foi publicada nesta quarta-feira (23) no “Diário Oficial da União”.

De acordo com informações divulgadas pelo portal de notícias "G1", as investigações da conduta da operada foram feitas pelo Departamento deProteção e Defesa do Consumidor (DPDC) daSecretaria Nacional do Consumidor, vinculada ao MJ. A pasta constatou que o Velox, serviço de banda larga da Oi, violou os direitos de informação e de privacidade do consumidor, além fazer publicidade enganosa.

Segundo a publicação, a apuração começou após o DPDC ter sido foi informado que aOi  fez uma parceria com a Phorm, que criou o software Navegador. O programa é usado rastrear os passos do consumidor na internet. Esses dados são utilizados para compor um perfil detalhado de cada cliente. Esses dossiês são vendidos a outras empresas que queiram enviar anúncios a essas pessoas com base na forma como agem na rede.

De acordo com o DPDC, a empresa não informou que a ferramenta fazia esse mapeamento, as consequências à privacidade de seus clientes e que venderia informações de seus consumidores a terceiros sem autorização.

Segundo o Ministério da Justiça, a empresa violou também os princípios do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) da neutralidade da rede (a não discriminação de pacotes na internet) e o da padronização e interoperabilidade. Isso porque o software Navegador redireciona o tráfego de rede, além de filtrar dados do consumidor.

Para chegar ao valor de R$ 3,5 milhões à TNL PCS S/A (Oi), o DPDC considerou a vantagem financeira obtida com a violação aos consumidores, o porte da companhia e o nível da conduta irregular. O valor da multa será depositado no Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), que reverte seus recursos em ações para defesa dos consumidores e defesa do meio ambiente e patrimônio público.

do Blog Momento Verdadeiro

MASSACRE DOS PALESTINOS - "Não há guerra no momento, só carnificina"


Não há guerra no momento só carnificina, por Gilson Caroni Filho 

Por Gilson Caroni Filho, em seu Facebook 

Não há guerra no momento. Guerra só existe quando dois ou mais Estados entram em confronto bélico. Não é ao que assistimos. 

A carnificina promovida por sionistas na Faixa de Gaza só pode ser chamada de " guerra" na narrativa da imprensa ocidental( CNN e Fox à frente). 

O que temos é massacre praticado por um dos mais treinados exércitos do mundo contra a população civil palestina. 

As fotos abaixo são da Reuters e da Associated Press. 

Foram feitas há poucos dias. Ambas são emblemáticas. 


Na primeira, uma menina ferida segura sua boneca. Na segunda,a da AP, o horror estampado no rosto da garotinha que foge com a mãe. O que as duas têm em comum? 

São crianças que, ao olhar pra trás, sabem que suas infâncias foram reduzidas a ruínas e escombros. É contra este cenário dantesco que, ao lado de manifestantes do mundo inteiro, lutam pacifistas israelenses e judeus como Chomsky e tantos outros. Eles têm plena consciência de que não há nada mais antissemita do que o sionismo. 

Nada mais desumano do que limpeza étnica e expansionismo.

do BLOG DE UM SEM-MÍDIA