64 different countries have visited this site

free counters

domingo, 24 de agosto de 2014

Marina no JN: Bonner planeja “espancar” morto Eduardo Campos para ressuscitar tucano Aécio Neves

Às favas o pouco de escrúpulo que resta! Resta? Existe algum escrúpulo na TV Globo? Na quarta (27), Bonner e Poeta, no JN, deverão partir para o ataque contra Marina Silva. O tema deverá girar em torno do jato que caiu e matou Eduardo Campos. Sem condição de defesa, o morto deverá ser acusado de caixa 2 – de não ter declarado a aeronave na prestação de contas [poderia fazê-la até o segundo turno, conforme a legislação eleitoral]. A tese da velha mídia abutre é que isso seria motivo para cassação da candidata do PSB à Presidência da República. Ou seja, vale até espancar o morto para garantir o senador tucano Aécio Neves no segundo turno contra a presidenta Dilma Rousseff.
Às favas o pouco de escrúpulo que resta! Resta? Existe algum escrúpulo na TV Globo? Na quarta (27), Bonner e Poeta, no JN, deverão partir para o ataque contra Marina Silva. O tema deverá girar em torno do jato que caiu e matou Eduardo Campos. Sem condição de defesa, o morto deverá ser acusado de caixa 2 – de não ter declarado a aeronave na prestação de contas [poderia fazê-la até o segundo turno, conforme a legislação eleitoral]. A tese da velha mídia abutre é que isso seria motivo para cassação da candidata do PSB à Presidência da República. Ou seja, vale até espancar o morto para garantir o senador tucano Aécio Neves no segundo turno contra a presidenta Dilma Rousseff.
Os jornalistas William Bonner e Patrícia Poeta já têm prontas as perguntas que farão na próxima quarta-feira (27), na bancada do Jornal Nacional, a Marina Silva, candidata do PSB à Presidência da República.
A mídia abutre não faz jornalismo imparcial como vende aos mais desavisados. Pelo contrário. Atua como linha auxiliar de seu candidato tucano Aécio Neves.
A Globo deverá centrar fogo no episódio da aeronave que caiu em Santos, no último 13 de agosto, que vitimou o ex-governador Pernambucano e presidenciável Eduardo Campos.
De santo, em apenas duas semanas, o ex-candidato socialista deverá ser carimbado pela emissora como “corrupto”. Detalhe: sem chance de defensa ao defunto!
A mídia abutre não faz jornalismo imparcial como vende aos mais desavisados. Pelo contrário. Atua como linha auxiliar de seu candidato tucano Aécio Neves.
Se o projeto de levar o senador mineiro ao segundo turno está ameaçado, de acordo com as pesquisas, às favas o pouco de escrúpulo que resta!
Bonner deverá insistir na tese de que o jato utilizado na campanha de Campos era fruto de caixa 2. Apontará que a prática do morto poderá causar a cassação da candidatura de Marina.
A velha mídia abutre — Globo, Veja, Folha. Estadão, etc. — não deseja a cassação da candidata do PSB. Querem-na fritando, se arrastando na disputa, com objetivo de garantir o segundo turno para Aécio. Por isso estimula a judicalização de sua condição de candidata à Presidência da República.
Outro ponto que Bonner abordará, com certeza, tem a ver com os conselhos populares. Marina Silva, assim como PT e Dilma, defende a criação de mais canais diretos com a sociedade. Por isso elas pretendem privilegiar a realização de plebiscitos. Para os abutres da mídia e do JN em especial, isso não passa de “cubanização” ou “chavismo” no país.
do Blog do Esmael

A hegemonia conservadora em São Paulo! - por Marcos Doniseti!



São Paulo nunca elegeu um único governador de esquerda em toda a sua história. 

O mais progressista foi, sem piada, Franco Montoro, um político moderado e centrista (e que na década de 60 foi do pequeno e moderado PDC, Partido Democrata Cristão), que até fez um bom governo (principalmente levando-se em consideração o caos administrativo e financeiro que herdou do governo Maluf), mas que nunca foi de Esquerda.

Isso acontece porque São Paulo é o principal feudo político, eleitoral, econômico, cultural e ideológico da retrógrada burguesia brasileira, que ainda tem uma mentalidade essencialmente escravocrata


Afinal, a imensa maioria da mesma era de antigos proprietários de escravos. E as chamadas classes médias surgiram e se desenvolveram no estado como forças auxiliares ou dependentes dos Senhores Escravocratas. 

E esse processo vem, pelo menos, desde que o café transformou São Paulo no estado mais rico e populoso do país.


A concentração da produção industrial brasileira no estado (inclusive sob os governos de Vargas e JK, embora tal concentração venha desde o início da industrialização do país) reforçou ainda mais esse poder dos segmentos mais conservadores da sociedade paulista.

Aliás, mesmo Getúlio Vargas, somente conseguiu ser vitorioso no estado de SP, na eleição presidencial de 1950, porque fez uma aliança com o principal político do estado, que era Adhemar de Barros. O acordo previa que, em 1955, Vargas apoiaria a candidatura presidencial de Adhemar. E em 1950, um político do PSP adhemarista (Café Filho) foi colocado na chapa de Vargas, como candidato a Vice-Presidente.

Assim, não é nenhum pouco surpreendente que os valores, ideias e princípios dominantes no estado sejam todos conservadores. Mídia, Economia, Justiça, Ministério Público, Polícias, a imensa maioria dos governos municipais, a Assembleia Legislativa e as Câmaras Municipais estão todos sob o controle das forças mais conservadoras do estado. 




E duvido que isso vá mudar.

Mas não vamos culpar Padilha por isso, embora ele e o PT paulista também acabem se adaptando ao arraigado e hegemônico conservadorismo paulista, como o Breno corretamente apontou em seu texto.

Isso tem causas históricas e já era uma realidade mais do que consolidada no estado muito antes do PT existir ou até do Padilha nascer, tanto que até Vargas teve que se compor politicamente com a burguesia hegemônica e conservadora do estado para vencer em 1950.

Atualmente, a maior força política e eleitoral do estado de SP é o anti-petismo (mesmo com o PT paulista sendo um partido moderado) e para impedir que o mesmo venha a ganhar a eleição para o governo do estado, os conservadores paulistas (que estão presentes em todas as classes sociais, sendo dominante mesmo entre as classes médias intermediária e baixa e até entre os mais pobres) se unem totalmente na hora de derrotar o PT.


E nesta eleição para o governo do estado, me parece que essa união dos segmentos conservadores de SP se fortaleceu devido à perspectiva de uma provável reeleição de Dilma e da vitória de Haddad na capital paulista em 2012.

Aliás, a vitória de Haddad somente foi possível devido ao voto maciço que o mesmo recebeu nas periferias da capital, pois se dependesse dos votos das regiões onde predominam a classe média e intermediária da cidade, Serra teria sido o eleito.

O mesmo acontece em outras grandes cidades do estado onde o PT é forte (Campinas, Guarulhos, Osasco, Santo André, S.Bernardo do Campo, Diadema, Mauá, etc). As vitórias petistas sempre se concentram nos bairros e regiões mais pobres e periféricas das principais cidades industriais do estado e onde há uma forte tradição de lutas políticas populares, principalmente (mas não apenas) do movimento sindical.


Já nas regiões do interior do estado de SP, onde a produção industrial é menor e a dependência do agronegócio e da pecuária de grande porte é muito maior, o PT também é minoritário e as forças conservadoras predominam até com certa facilidade.

E também quero chamar a atenção para o fato de que mesmo nas eleições presidenciais, mesmo Lula ou Dilma jamais venceram uma eleição no estado de SP. 


Desde 1989, quando Collor e Maluf foram os mais votados no estado, que nenhum candidato de Esquerda conseguiu vencer uma eleição presidencial em São Paulo. Ele até consegue vencer em algumas cidades industriais que possuem uma classe trabalhadora com tradição de luta e nas periferias das mesmas, onde se concentra a população de menor renda. No estado, não.

Então, me parece que será necessário muito mais do que um racionamento de água para se poder derrotar o PSDB no estado de SP. Até porque, depois do colapso do malufismo e do quercismo, os tucanos colocaram praticamente todas as principais forças conservadoras do estado sob as suas asas.

Então, não quero ser pessimista, mas será muito difícil derrotar Alckmin nesta eleição.

Infelizmente.


do Blog Guerrilheiros do Entardecer

BATALHA AÉREA - AÉCIO NEVES, O HOMEM DOS AEROPORTOS EXIGE DE MARINA SILVA EXPLICAÇÃO SOBRE USO DE AERONAVE IRREGULAR

AÉCIO NÃO DEMOROU NEM UMA SEMANA PARA COMEÇAR A ATIRAR EM MARINA SILVA
CANDIDATA DA REDE/PSB FOGE DE ASSUNTO QUE PODE DERRUBAR SUA IMAGEM E CAMPANHA

Aécio Neves está preocupado com o crescimento "supersônico" de Marina Silva. O candidato tucano que já vinha apresentando problemas em suas turbinas e não conseguia fazer sua campanha ALÇAR VOO, acabou ainda mais preso ao chão com a DENÚNCIA de que construiu DOIS AEROPORTOS para beneficiar a própria família. 

Aécio não deu as explicações necessárias, e as que apresentou não convenceram. Mas, queridinho que ainda é do PIG, o assunto ficou meio esquecido. 

A morte de EDUARDO CAMPOS em trágico acidente aéreo, passou a ser o tema central da atual campanha. Mas, o acidente acabou revelando um ESCÂNDALO. Ficamos sabendo que o ex-candidato do PSB usava um JATINHO IRREGULAR para se deslocar pelo Brasil, por vezes com Marina Silva (REDE) lhe acompanhando nos eventos políticos.

Marina assumiu a posição que era de Campos. Agora, na condição de candidata, ela vem fugindo de se explicar sobre o assunto. Pega mal para quem diz representar uma nova forma de fazer política, estar no meio de um BOMBARDEIO envolvendo logo JATINHOS, e as consequentes suspeitas de que nada em relação a esse AVIÃO era LEGAL, e fugir, passando o microfone para o seu VICE, Beto Albuquerque, que também nada esclarece.

Para MARINA SILVA, cobrada por AÉCIO NEVES  a se explicar, ficou ainda a AMARGA IRONIA em forma de suspeita, de usar um AVIÃO que era FINANCIADO por USINEIROS.

Postado por BONDeblog S. O. 

QUEM MORA NO EXTERIOR TEM VISÃO DETURPADA PELA MIDIA SOBRE O NOSSO BRASIL!

O HORÁRIO ELEITORAL MOSTRA TUDO AQUILO QUE DESCONHECEMOS DO BRASIL! 

É MOSTRADO TUDO AQUILO QUE OS BARÕES DA MIDIA AMERICANIZADA ESCONDEM DO POVO BRASILEIRO! 

ASSISTAM OS VIDEOS QUE ESTAREI POSTANDO... 



Abdelmassih, o monstro que une Gilmar Mendes e a A$$oCIAção Médica Brasileira

Mais medicos e jornalistasA explicação é simples.

Pessoas como o Sinistro posto no STF por FHC e a A$$oCIAção Médica Brasileira protegem tudo o que visa lucro sem interessar métodos ou meios, só os fins. 

Quando o assunto se volta para a saúde, como o Mais Médico, vira escândalo.

Como pode a medicina estar voltada exclusivamente para a saúde, sem pensar no enriquecimento de quem a pratica?

O maior e o melhor argumento da AMB em relação ao Mais Médicos está naquela frase da jornalista do Rio Grande do Norte: “tem cara de empregada doméstica”. 

Claro e objetivo: a empregada era negra, e não tinha plano de saúde particular. Tudo ao avesso da exploração comercial que o bom uso da medicina recomenda. 

O combate veio de quem não trabalha mas se dá ao trabalho de inventar dedos de silicone para marcar presença…

A melhor explicação para o comportamento da A$$oCIAção Médica Brasileira já foi dada pelo Aparício Torelly, vulgo Barão de Itararé: 

“O emblema do médico tem duas cobras, isto significa que ele cobra duas vezes; se ele cura, cobra e se ele mata, cobra.”

Caso Abdelmassih endureceu regras da reprodução assistida

Antes do escândalo, ex-médico escolhia sexo de embriões e dizia que trocava check-ups por óvulos de mulheres jovens

Em 2011, dois anos após abusos sexuais virem à tona, Anvisa criou novas regras para clínicas de fertilidade

CLÁUDIA COLLUCCIDE SÃO PAULO

Agosto de 2001. O então médico Roger Abdelsmassih declara que "vitamina" óvulos de mulheres mais velhas com material genético de mulheres mais jovens com a intenção de aumentar as chances de gravidez.

Setembro de 2004. Abdelmassih afirma que praticava a "sexagem", ou seja, transferia para o útero da mulher apenas os embriões do sexo que o casal deseja. O resto ia para o lixo. Chamava isso de "balanceamento familiar".

Fevereiro de 2006. O ex-médico conta que recebia doações de óvulos de 30 universitárias, com idades entre 23 e 26 anos. Dizia que, em troca, oferecia um check-up.

As três situações acima foram descritas pela Folha em reportagens que denunciavam procedimentos vetados pelo código de ética médica. 

Roger Abdelmassih nunca foi punido por eles.

Foi preciso o escândalo dos abusos sexuais vir à tona em janeiro de 2009 para que a área da reprodução assistida passasse a ser mais bem regulamentada.

Em 2010, o CFM (Conselho Federal de Medicina) atualizou, depois de 18 anos, as normas que regem os procedimentos reprodutivos.

Um ano depois, em 2011, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) criou novas regras de funcionamento das clínicas de reprodução assistida, que passaram a ter que informar o número de embriões congelados e a taxa de sucesso dos tratamentos, por exemplo.

O médico Adelino Amaral Silva, diretor brasileiro da Rede Latinoamericana de Reprodução Assistida e que foi consultor do CFM para a resolução sobre o tema, afirma que as mudanças não ocorreram em razão do escândalo. "Já vinham sendo pensadas, discutidas."
Para ele, as normas éticas sempre foram muito claras e as eventuais infrações são de responsabilidade de cada profissional. "Cada cabeça sua sentença."

Já o médico Artur Dzik, diretor científico da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana, entende que houve uma maior movimentação na implantação de novas normas após o caso.

"Demorou para que olhassem para a área. Agora está bem regulamentada, mas falta fiscalização", diz.

O Sistema Nacional de Produção de Embriões, criado pela Anvisa, é abastecido com informações fornecidas pelas clínicas. Não existe fiscalização ativa das vigilâncias sanitárias.

O último relatório da Anvisa, de março de 2014, aponta, por exemplo, que o país tem 93 centros de reprodução. Mas especialistas da área dizem que há ao menos 200 clínicas reprodutivas.

Na opinião de Artur Dzik, atos criminais como os praticados por Abdelmassih fogem da esfera da regulamentação de normas. "Loucura não tem limite."
De acordo com o médico José Gonçalves Franco Júnior, presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida, o caso Abdelmassih compete à esfera policial e está encerrado.

"Foi triste, as pessoas só falam disso, mas não afetou a imagem da especialidade. Não há substituto do Roger."

do Blog Ficha Corrida

Choque de gestão: Mulheres de Montezuma, cidade do aeroporto abandonado, viajam de 60 a 100 km para dar à luz

Cópia-de-cavalo-e-posto.jpg (620×413)

Na Serra do Cafundó — ouvir trovão de lá, e retrovão, o senhor tapa os ouvidos, pode ser até que chore, de medo mau em ilusão, como quando foi menino. O senhor vê vaca parindo em tempestade. De em de, sempre, Urucúia acima, o Urucúia — tão as brabas vai… Tanta serra, esconde a lua. A serra ali corre torta. A serra faz ponta. (…) Hem? O senhor? Olhe: o rio Carinhanha é preto, o Paracatú moreno; meu, em belo, é o Urucúia — paz das águas… É vida! de Guimarães Rosa, em Grande Sertão Veredas

Luiz Carlos Azenha, de Montezuma, Minas Gerais / Viomundo 

"Dá até para imaginar Guimarães Rosa, nos anos 40, viajando por esta região do Brasil, fronteira de Minas Gerais com a Bahia, em busca de inspiração para sua obra-prima. 

Hoje a tradição dos vaqueiros resiste, mas o cenário humano passou por grandes transformações. 

Montezuma fica a leste do rio Urucuia, que Rosa tornou famoso, e do Parque Nacional Grande Sertão Veredas, nomeado em homenagem ao autor. É a região do Alto Rio Pardo. 

Uma simpática cidade de cerca de 8 mil habitantes, que depende especialmente de atividades agrícolas e dos empregos públicos da Prefeitura local. 

Em 1991, 64,7% dos moradores do município viviam na extrema pobreza. 

Em 2010, eram apenas 9,15%. Aposentadorias rurais, Bolsa Família, investimentos federais e estaduais contribuiram muito para esta mudança. 

Apesar disso, a melhoria foi relativa: hoje, só 26,75% dos moradores de mais de 18 anos de idade completaram o ensino fundamental." 

do Blog Brasil!Brasil!

Os abutres vem do norte

eua vergonhaLobby anti-Argentina ganha força nos EUA

O melhor resumo dos ataques à Argentina, vindo dos EUA, está num texto despretensioso, do uruguaioEduardo Galeano, sobre outros assuntos:

Guerras mentirosas

Campanhas publicitárias, esquemas de marketing. O alvo é a opinião pública. Guerras são vendidas da mesma maneira que carros: através da mentira.
Em agosto de 1964, o presidente norte-americano Lyndon Johnson acusou os vietnamitas de atacar dois navios de guerra dos EUA no Golfo de Tonkin.
Então, o presidente invadiu o Vietnã, enviando aviões e tropas. Ele foi aclamado por jornalistas e políticos, e sua popularidade disparou. Os democratas no poder e os republicanos fora do poder se tornaram um único partido unido contra a agressão comunista.
Depois de a guerra ter massacrado vietnamitas em grandes números – a maioria sendo mulheres e crianças – o secretário de defesa, Robert McNamara, confessou que o ataque no Golfo de Tonkin nunca ocorreu.
Os mortos não voltaram à vida.
Em março de 2003, o presidente norte-americano George W. Bush acusou o Iraque de estar prestes a destruir o mundo com suas armas de destruição em massa, “as armas mais letais já construídas”.
Então, o presidente invadiu o Iraque, enviando aviões e tropas. Ele foi aclamado por jornalistas e políticos, e sua popularidade disparou. Os democratas no poder e os republicanos fora do poder se tornaram um único partido unido contra a agressão terrorista.
Depois de a guerra ter massacrado iraquianos em grandes números – a maioria sendo mulheres e crianças –, Bush confessou que as armas de destruição em massa nunca existiram. “As armas mais letais já inventadas” foram seus próprios discursos.
Na eleição seguinte, ele foi reeleito.
Em minha infância, minha mãe costumava me dizer que a mentira tem perna curta. Ela estava mal informada.
Outro aspecto pouco falado sobre esta questão diz respeito aos assim chamados “investimentos de risco”. O capital especulativo ganha dinheiro correndo riscos, certo? Errado. Como se pode ver, a especulação não pode correr riscos. Se perder, sempre haverá um juiz nos EUA para impedir prejuízo. E aí “democratas no poder e os republicanos fora do poder se tornaram um único partido unido contra riscos da especulação”.

Em anúncios de jornal e TV, ‘fundos abutre’ que processaram governo em Buenos Aires tentam humanizar credores


Grupo atrai democratas, republicanos e doador eleitoral Paul Singer, cujo fundo lucrou com dívida de Congo e Peru

ISABEL FLECKDE NOVA YORK

"Conheça os abutres’ da Argentina", diz o anúncio de página inteira publicado na última semana no "New York Times" e no argentino "La Nación" pela ATFA (American Task Force Argentina), maior lobby dos credores que não aceitaram renegociar a dívida e ganharam, na Justiça americana, direito a receber US$ 1,3 bilhão do país.

Logo abaixo do texto, há a foto de argentinos que ainda não receberam: Norma Lovato, 85, Horácio Vazquez, 57, Maria Elena Corral, 77. Esta última, diz o anúncio, "investiu nos títulos argentinos como ato de patriotismo".

O anúncio faz parte de uma ofensiva do ATFA em jornais, sites e redes de TV americanos iniciada no fim de julho, quando ficou configurado o segundo calote do país sobre sua dívida em 13 anos.

Segundo o Center for Responsive Politics (CRP), que monitora a atividade de lobby nos EUA, a ATFA tinha gasto, até junho, US$ 740 mil, quase três quartos do US$ 1 milhão que foi investido em todo o ano de 2013.

"Eles estão mais agressivos, em parte porque os fundos abutres têm perdido a batalha pela opinião pública desde a decisão da Suprema Corte [em junho]", diz Mark Weisbrot, do progressista Centro de Pesquisa Econômica e Política (Washington).

No entanto, a diretora-executiva do CPR, Sheila Krumholz, afirma que as campanhas para humanizar os credores "abutres" (como o governo argentino os chama)têm tido efeito positivo em quem não acompanha o imbróglio da dívida argentina.

Em junho, a Suprema Corte respaldou a decisão do juiz Thomas Griesa de que a Argentina só poderia pagar os 92% de credores que aceitaram renegociar a dívida em 2005 e 2010 se pagasse os 8% que recusaram a operação.

A decisão colocou o país tecnicamente em calote.
Desde então, a presidente Cristina Kirchner mobilizou países em reuniões na ONU e na Organização dos Estados Americanos, publicou anúncios na mídia e culpou Griesa pelo ocorrido.

BIPARTIDÁRIA

A ATFA, que se apresenta como "aliança de organizações para um acordo justo" sobre a dívida argentina, reúne 30 membros, em sua maioria pequenas associações do setor agropecuário nos EUA.

Seu principal "apoiador" é o fundo Elliott, do multimilionário Paul Singer, do qual é subsidiário o NML –o maior entre os "fundos abutres" que levaram a Argentina à corte.

Para apoiar Singer, um dos maiores doadores do Partido Republicano, a ATFA tem na diretoria três influentes democratas: Robert Shapiro, ex-assessor de campanha e subsecretário de comércio do ex-presidente Bill Clinton (1993-2001); a ex-embaixadora dos EUA na ONU sob Clinton Nancy Soderberg e Robert Raben, que ocupou altos postos no Departamento de Justiça.

Para Krumholz, esse "bipartidarismo" não é contraditório. "Singer sabe que, num governo democrata, precisará de pessoas de dentro do partido para fazer as coisas avançarem. Não são associações ideológicas", diz.

Singer –69 anos, nome na lista da Forbes das 400 pessoas mais ricas dos EUA e ativista pró-casamento gay desde que o filho se assumiu– é conhecido pelo "faro" para títulos de países à beira da quebra que podem dar lucro.

Em 1996, ele comprou por US$ 11,4 milhões títulos do Peru, pelos quais receberia na Justiça, em 2000, US$ 58 milhões. Da República do Congo, obteve US$ 90 milhões após pagar menos de US$ 20 milhões por papeis do país nos anos 90.

do Blog Ficha Corrida